Notícias

Orquídea que havia desaparecido no Estado de São Paulo ganha nova chance

Espécie, que já era considerada extinta no estado, foi redescoberta em reserva particular e reproduzida in vitro para que possa ser reintroduzida na Mata Atlântica

Duda Menegassi ·
10 de dezembro de 2021

Desaparecida das florestas atlânticas de São Paulo por meio século e considerada oficialmente extinta no estado desde 2016, a pequena orquídea Octomeria estrellensis ganhou uma nova chance na Mata Atlântica paulista. A orquídea de apenas dois centímetros foi redescoberta dentro da reserva particular Legado das Águas, localizada entre os municípios de Juquiá, Miracatu e Tapiraí, no Vale do Ribeira. A partir dos indivíduos encontrados, foi possível fazer a reprodução no laboratório de cerca de mil mudas, que poderão voltar a povoar as florestas paulistas.

A reintrodução da Octomeria estrellensis faz parte de um programa de conservação desenvolvido pela reserva de reprodução de espécies raras e ameaçadas da flora, e fruto de uma parceria com o Orquidário Colibri. Quando foi redescoberta, em 2017, 38 indivíduos foram recolhidos e estudados. Destes, 14 foram levados para o orquidário do Legado das Águas, onde foram polinizados manualmente para darem frutos. As sementes foram então enviadas para o Orquidário Colibri, onde foram reproduzidas com técnicas laboratoriais (in vitro) e submetidas às demais etapas de reprodução que deram origem a mil mudas da espécie.

Depois da reprodução no laboratório, as mudas de orquídeas serão cultivadas por mais 12 a 24 meses no orquidário da reserva, para que estejam aptas a sobreviver na natureza.

Os outros 24 exemplares da espécie foram realocados na trilha do Legado das Águas, e um foi herborizado segundo as técnicas convencionais e depositado no Herbário SP, do Instituto de Botânica de São Paulo.

O biólogo Luciano Zandoná, autor da redescoberta da Octomeria estrellensis e responsável pela estruturação do programa de conservação de orquídeas na reserva, já registrou 232 espécies de orquídeas no Legado das Águas entre 2015 e 2019. Destas, 14 constam na lista de espécies ameaçadas.

A micro-orquídea foi reproduzida no laboratório para que possa repovoar a Mata Atlântica paulista. Foto: Legado das Águas/Divulgação

“Esse é um importante marco para flora da Mata Atlântica. Estamos falando de uma enorme possibilidade de ter evitado a total extinção da espécie na natureza. A Octomeria estrellensis é uma micro-orquídea endêmica do Brasil, ocorrendo somente na Mata Atlântica, fator que aumenta a necessidade de ações de conservação da espécie. Esse resultado mostra, na prática, como o investimento em pesquisa científica retorna como negócios viáveis”, comemora Zandoná.

O objetivo é que, futuramente, as mudas sejam destinadas para fomentar parcerias com outras áreas protegidas, para permitir a propagação da orquídea pelas florestas do estado. Outra possibilidade que tem sido discutida é a comercialização de orquídeas, como ferramenta para desestimular a coleta ilegal que ocorre, já que são plantas com alto valor ornamental.

Além de São Paulo, a micro-orquídea, que só ocorre no sudeste do Brasil, também já foi registrada nos estados do Espírito Santo e Rio de Janeiro, em florestas da região serrana. Em nível nacional, a espécie é classificada como “Quase Ameaçada” de acordo com avaliação feita em 2012 pelo Centro Nacional de Conservação da Flora (CNCFlora). A análise alerta, entretanto, que o seu valor ornamental e o declínio contínuo da qualidade do seu habitat podem levar a espécie a uma situação de risco de extinção em um futuro próximo.

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação, montanhismo e divulgação científica. Escreve para ((o))eco des...

Leia também

Salada Verde
7 de junho de 2018

Mais da metade da flora que só existe no Rio de Janeiro está ameaçada

Das 884 espécies endêmicas, 513 estão perto da extinção. Os dados foram revelados no Livro Vermelho da Flora Endêmica Ameaçada de Extinção, lançado na quarta-feira (06)

Notícias
19 de julho de 2021

Nova espécie de planta da Mata Atlântica é encontrada no Espírito Santo

A planta, uma espécie de trepadeira, foi descoberta na Reserva Biológica Duas Bocas, área que protege raros remanescentes primários de Mata Atlântica

Notícias
8 de julho de 2021

Pesquisadores identificam nova espécie de planta no Rio Grande do Sul

A recém-descoberta Rhamnidium riograndense viajou na mala de um engenheiro florestal por 5 anos e levou outros 5 antes que fosse identificada e descrita pela primeira vez à ciência

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta