Notícias

Pesquisa mostra relação entre falas de Bolsonaro e o ‘dia do fogo’ na Amazônia

Estudo revela como as buscas na internet por termos como 'Noruega', 'Alemanha' e 'fogo na Amazônia' cresceu junto com as queimadas no bioma em agosto de 2019, em resposta ao discurso de Bolsonaro

Duda Menegassi ·
12 de abril de 2021
Estudo indica que falas de Bolsonaro podem ter influenciado alta de queimadas na Amazônia em agosto de 2019. Foto: Marcos Corrêa/PR

Palavras têm poder, especialmente quando vêm daquele que ocupa o cargo máximo de liderança da nação. Movido por essa percepção, o pesquisador Marco Antonio Caetano decidiu investigar a possível relação entre as palavras de Bolsonaro ao criticar fervorosamente Alemanha e Noruega – os maiores doadores do Fundo Amazônia, congelado pelo atual governo – e o aumento das queimadas que devastaram a Amazônia em agosto de 2019 e culminaram no infame ‘dia do fogo’ – quando produtores rurais fizeram um protesto colocando fogo de propósito em área de floresta.

De acordo com o estudo, os incêndios no período foram precedidos por um aumento de pesquisas online por termos relacionados aos ataques do presidente às duas nações estrangeiras que financiam a proteção da Floresta Amazônica.

Segundo Marco Caetano, os dados indicam, com 95% de confiança, que a troca de palavras sobre a Alemanha e o Brasil incentivou os episódios que culminaram no ‘dia do fogo’, quando agropecuaristas iniciaram múltiplos focos de incêndio às margens da BR-163, no Pará, supostamente para endossar o discurso do presidente Bolsonaro e pedir apoio do governo federal aos proprietários rurais.

O levantamento mapeou palavras-chaves como ‘Alemanha’, ‘Noruega’, ‘Altamira + Fogo + BR-163’, ‘fogo + Amazônia’ através do Google Trends (ferramenta que apresenta a frequência com que palavras aparecem nas buscas dos usuários online), e como as buscas por esses termos evoluíam no passar dos dias; e cruzou com mais de 3 milhões de pontos de dados, que incluíram os números de focos de incêndio registrados pelo monitoramento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), registros do Ibama e do Instituto Nacional de Meteorologia.

Para o termo ‘Alemanha’, a análise constatou correlação de 55,7% com defasagem temporal de sete dias para o aumento significativo da curva de queimadas. De acordo com o pesquisador, resultados acima de 50% indicam uma forte tendência de ligação entre os acontecimentos observados. Entre os dias 2 e 9 de agosto, Bolsonaro disparou ataques contra a chanceler alemã, Angela Merkel; nos dias 10 e 11 de agosto, ocorria o ‘dia do fogo’ no Pará, que resultou no aumento de 1.923% no número de focos de queimadas neste intervalo, em comparação com o ano anterior. Entre os dias 4 e 11 de agosto, a alta de incêndios na Amazônia Legal foi de 73%.

Uma correlação ainda maior, de 72,87%, foi constatada entre as buscas pelos termos ‘Alemanha’ e ‘Altamira + fogo + BR163’. O interesse relacionado à cidade paraense ganhou força em 3 de agosto de 2019, embora a localidade ainda não estivesse em destaque na imprensa em razão das queimadas, e voltaria a se intensificar nos dias 9 e 10. No dia 11, a região acumularia seu maior número de focos de incêndio.

Quando as nuvens de fumaça chegaram em São Paulo, no dia 19 de agosto de 2019, e escureceram os céus da maior cidade brasileira, a procura pelas palavras “Fogo + Amazônia” disparou novamente nos dias seguintes, entre 20 e 24 de agosto.

A pesquisa também levantou dados sobre a incidência de chuvas de julho e agosto dos anos 2017, 2018 e 2019, e constatou que o nível pluviométrico se manteve na média de anos anteriores, o que desmente uma das alegações de Bolsonaro de que o aumento crítico das queimadas estaria relacionado a uma suposta seca atípica e, portanto, a uma “causa natural”. O estudo menciona ainda o desmonte da fiscalização na Amazônia e o enfraquecimento do Ibama como outra possível razão por trás do aumento das queimadas.

A pesquisa realizada por Marco Antonio Leonel Caetano, do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), foi publicada na revista científica Technological Forecasting and Social Change (Previsão Tecnológica e Mudança Social, em tradução livre).

Leia também

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação e montanhismo. Escreve para ((o))eco desde 2012. Autora do livr...

Leia também

Salada Verde
27 de agosto de 2019

“Dia do Fogo” foi promovido por grupo no whatsapp chamado “SERTÃO”

Grileiros, garimpeiros e fazendeiros eram os membros que organizaram o dia e contrataram motoqueiros para espalharem fogo. Governo foi avisado três dias antes das queimadas

Notícias
22 de agosto de 2019

Pesquisadores descrevem fenômeno que escureceu SP e sua relação com as queimadas na Amazônia

Escurecimento do céu foi combinação de dois fenômenos de natureza distinta, dizem especialistas. Fato não minimiza gravidade do problema das queimadas

Notícias
25 de agosto de 2019

Pecuarista que acusou ICMBio de promover “dia do fogo” tem multa por queimada

Manifestação convocada pelo WhatsApp promoveu um dia de queimadas na região da BR 163. Em entrevista ao Globo Rural, fazendeira acusou ICMBio de estar por trás das queimadas 

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 2

  1. Tiago diz:

    Imagine! Foi o brigadista, o Leonardo Di Caprio e os marcianos que tacaram fogo…


  2. Paulo diz:

    Lembro desta fala " esta p…a desta árvore", vindo do mandrião.