Reportagens

Licitação de floresta parada

Justiça de Santarém interrompe processo de licitação da Floresta Nacional Saracá-Taquera porque espera delimitação de áreas quilombolas.

Redação ((o))eco ·
29 de janeiro de 2010 · 12 anos atrás

Mais uma vez o processo de concessão de florestas públicas do Serviço Florestal Brasileiro (SFB) foi interrompido. A Justiça Federal em Santarém (PA) ordenou a suspensão da licitação para exploração da Floresta Nacional Saracá-Taquera, a segunda unidade de conservação a ter blocos concedidos a empresas que se comprometam com a exploração sustentável dos recursos florestais, levando em consideração não só o melhor preço, mas os maiores benefícios sócio-ambientais e os menores impactos. A Justiça determinou que o processo só seja retomado depois que a União fizer a identificação e a delimitação de territórios de famílias quilombolas e ribeirinhas que vivem na região, e após a revisão do plano de manejo da floresta nacional. A ação foi movida pelo Ministério Público Estadual (MPF). Durante o processo de licitação de três áreas de manejo na Floresta Nacional do Jamari, em Rondônia, também houve atrasos em função de ações na Justiça.

Leia também

Reportagens
25 de outubro de 2021

Exploração ilegal de madeira aumenta no Mato Grosso e chega a 88,3 mil hectares em 2020

Ilegalidade atinge 38% da área total utilizada para extração de madeira no estado. Mais de 10 mil hectares explorados de forma ilegal foram em áreas protegidas

Análises
25 de outubro de 2021

Como frear crises hídricas, as atuais e as futuras?

Acompanhamos de perto, por aqui, uma expansão imobiliária desordenada, que, à luz do dia, destrói nascentes e despeja esgoto diretamente em cursos d’água

Reportagens
25 de outubro de 2021

Como os estados cuidam da Amazônia: comparamos dados de proteção, orçamento e desmatamento

Análise exclusiva do ((o))eco se debruça sobre dados ambientais dos nove estados da Amazônia Legal para compreender diferenças e semelhanças nas políticas públicas regionais

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta