Salada Verde

Prefeitura de São Paulo planta árvores no meio da via

Prefeitura inaugura projeto que planta árvores em cima da pintura da faixa que separa as vias. Objetivo é arborizar sem atrapalhar o pedestre.

Redação ((o))eco ·
12 de março de 2015 · 7 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

São Paulo tem déficit de 1 milhão de árvores na via pública. Crédito: Fabio Arantes/SECOM.
São Paulo tem déficit de 1 milhão de árvores na via pública. Crédito: Fabio Arantes/SECOM.

A Prefeitura de São Paulo iniciou o plantio de árvores na faixa que sinaliza as duas mãos de circulação de veículos. O projeto piloto foi inaugurado nesta quarta-feira (11) nas ruas do bairro Cidade Patriarca, na Zona Leste de São Paulo. No local foram plantadas 70 mudas de árvores, a grande maioria ipês amarelos, no asfalto sem a presença de um canteiro central. O objetivo, segundo o prefeito Fernando Haddad (PT), é aumentar a arborização do município sem prejudicar o pedestre e a rede elétrica.

“Nós estamos desenvolvendo novas metodologias de plantio, levando em consideração as características da cidade: as calçadas são estreitas, então a árvore ocupa um espaço precioso na calçada, necessário para o cadeirante ou para a pessoa com deficiência, e a fiação, com o que as árvores convivem mal”, afirmou, de acordo com nota publicada no site da prefeitura.

O projeto intitulado Árvore no Asfalto está sendo implementado com a supervisão de engenheiros da Companhia de Engenharia de Tráfego e por agrônomos. De acordo com Haddad, há um déficit de 1 milhão de árvores nas vias públicas de São Paulo.

Detalhes técnicos

Para o primeiro teste, foram usados 7 tipos de mudas, de árvores de médio e grande porte, como ipê, caroba, carobinha e cássia, cuja característica principal é que a raiz cresce para baixo e não para os lados.  O cuidado foi para que o plantio não causasse deformação no pavimento com o crescimento futuro das árvores. A prefeitura também utilizou anéis de concreto que visam direcionar as raízes para as camadas mais profundas do solo.

A previsão é que em 3 ou 4 anos as árvores já estejam adultas.

“A árvore na cidade tem adversidades: tem o solo, a qualidade do ar, a fiação. Ao longo da história o planejamento urbano não contemplou o pedestre, então tem muitos lugares onde ou tem espaço para o pedestre ou para a árvore. Então o plantio no asfalto é uma alternativa para deixar a cidade mais verde. Na Europa e no Canadá há projetos de plantio muito semelhantes”, defendeu Wanderley Meira do Nascimento, titular da Secretaria do Verde e Meio Ambiente.

A cidade de São Paulo tem como meta até 2016 plantar 900 mil mudas em passeios públicos e canteiros centrais.

 

Leia Também
Prefeito libera construção em áreas protegidas de SP    
Sabiás com fome, bueiros entupidos
São Paulo, onde as árvores são consideradas lixo
São Paulo, onde árvores são consideradas lixo (parte 2)

 

Leia também

Reportagens
27 de outubro de 2021

Estados da Amazônia não estão preparados para eventos climáticos extremos, mostra estudo

Nenhum dos nove estados possui sistema de alertas ou planos de contingência para lidar com inundações, secas, incêndios ou ondas de calor

Análises
27 de outubro de 2021

Um olhar sobre 36 anos da Mata Atlântica – o que aconteceu entre 1985 e 2020 e para onde vamos

O bioma mais impactado pela presença humana ao longo de toda a história do país permaneceu com intensa transformação do seu território nas últimas 3,5 décadas

Reportagens
27 de outubro de 2021

Lobby do agronegócio reduz transparência ambiental de estados e favorece desmatamento

Governadores cedem a interesses de produtores rurais e bloqueiam ou dificultam acesso a dados públicos que poderiam apontar quem está derrubando a floresta ilegalmente

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta