Salada Verde

Ativista do Greenpeace é condenado por danificar patrimônio cultural no Peru

O austríaco Wolfgang Sadik foi condenado a 2 anos e 4 meses de prisão por danificar as linhas de Nazca, fato que ocorreu durante a COP20 em 2014

Sabrina Rodrigues ·
22 de maio de 2017 · 7 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
“É hora de mudar. O Futuro é renovável” escrito em letras amarelas nas linhas de Nazca pelos ativistas do Greenpeace. Foto: Thomas Reinecke/Greenpeace.
“É hora de mudar. O Futuro é renovável” escrito em letras amarelas nas linhas de Nazca pelos ativistas do Greenpeace. Foto: Thomas Reinecke/Greenpeace.

Na quinta-feira (18), o Tribunal da cidade de Nazca, a 450km de Lima, no Peru, condenou o arqueólogo austríaco Wolfgang Sadik a 2 anos e 4 meses de prisão, com direito à liberdade condicional e multa de quase US$ 200 mil dólares por danificar os milenares geoglifos (figuras feitas no chão) de Nazca, de mais de 2 mil anos considerados patrimônio cultural pela UNESCO.

O fato ocorreu em 2014, época em que ocorria a Conferência das Partes da ONU sobre o Clima (COP20). O austríaco liderou um grupo de doze ativistas que invadiram a área sem autorização e escreveram uma imensa mensagem de letras amarelas, em que dizia “Time for change! The future is renewable. Greenpeace” (“É hora de mudar. O futuro é renovável“). O recado era direcionado aos representantes dos países que estavam reunidos na COP20.

Wolfgang Sadik assumiu a responsabilidade por ter danificado a figura do Beija-flor, parte das linhas de Nazca. A atitude provocou danos aos desenhos milenares criados pela civilização de Nazca, entre 400 e 650 a.C. O governo peruano denunciou o Greenpeace ao Ministério Público. Na época, o Greenpeace emitiu uma nota lamentando o ocorrido e pedindo desculpas à população do Peru.

De acordo com o jornal La República, os outros membros que participaram da ação não se apresentaram à Justiça. São eles, os argentinos Rodrigo Miguel Abd e Mauro Fernández, o colombiano Herbert Villarraga Augusto Salgado e Iris Wiedmann. Eles terão que se apresentar para ouvir suas sentenças durante a próxima audiência que será realizada na primeira semana de julho.

 

Leia Também

Greenpeace invade ruínas milenares e revolta peruanos

Nazca pelo avesso

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Colunas
23 de fevereiro de 2015

Nazca pelo avesso

Peruanos ignoram o potencial turístico da área no entorno de Nazca e reservas extraordinárias permanecem desconhecidas pelos turistas.

Salada Verde
11 de dezembro de 2014

Greenpeace invade ruínas milenares e revolta peruanos

Mensagem de protesto contra mudanças climáticas pode ter danificado Linhas de Nazca, de 2.100 anos. Governo do Peru pretende processar ativistas.

Notícias
12 de julho de 2024

Aprovado, PL do hidrogênio abre brechas para alta emissão de carbono, alertam ONGs

Nota da Coalizão Energia Limpa e do Observatório do Clima critica aumento do limite de emissões e risco de utilização de combustíveis fósseis na produção do hidrogênio; projeto vai à sanção

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários 1

  1. indignado diz:

    e o idiota ainda é arqueólogo!!!