Salada Verde

Justiça condena acusados de compra e venda de licenças ambientais

Empresários subornavam servidores para construir empreendimentos em área de preservação permanente, em Jurerê Internacional, Florianópolis

Sabrina Rodrigues ·
22 de junho de 2017 · 5 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Justiça condena 16 pessoas envolvidas em esquema liberar construção de empreendimentos em área de preservação permanente, em Jurerê Internacional. Foto: Rosanetur/Flickr.
Justiça condena 16 pessoas envolvidas em esquema para liberar construção de empreendimentos em área de preservação permanente, em Jurerê Internacional. Foto: Rosanetur/Flickr.

Na quarta-feira (21), o juiz Marcelo Krás Borges, da 6ª Vara Federal Ambiental de Florianópolis, condenou 16 pessoas por corrupção num esquema que envolvia liberação de licenças ambientais em área de preservação permanente em troca de propinas. O crime envolvia empresários e servidores públicos.

A operação da Polícia Federal chamada Moeda Verde revelou, em 2007, o esquema liderado pelo empresário Péricles de Freitas Druck, da empresa Habitasul, que mantinha contatos com servidores de órgãos como a Fundação do Meio Ambiente (Floram) e Secretaria de Urbanismo e Serviços Públicos (Susp). As autorizações ilegais para a construção de empreendimentos em Jurerê Internacional, bairro de classe média alta de Florianópolis, eram concedidas pelos servidores que, assim, obtinham diárias em hotéis da Habitasul e subornos.

O desfecho dessa história, pelo menos na primeira instância, terminou nesta quarta-feira (21). Péricles foi condenado a pena de 28 anos em regime fechado, multa e prestação de serviços comunitários. Além da condenação dos 16 envolvidos no crime, o juiz determinou ainda a demolição dos beach clubs.

“A denúncia descreve uma quadrilha altamente organizada com o objetivo de comprar as licenças ambientais, de maneira que os empreendimentos comerciais pudessem ser localizados em área de preservação permanente, sem que houvesse qualquer incômodo por parte da fiscalização municipal e estadual”, afirmou o juiz.

O advogado Antônio Tovo Loureiro, que defende réus ligados à Habitasul, afirmou que irá recorrer da decisão.

 

Leia Também

Justiça condena empresa por fraude em sistema de controle do Ibama

Rios Voadores: ex-servidor do Ibama é impedido de exercer cargo de chefia

Polícia Federal desmonta quadrilha de desmatadores comandada de São Paulo

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Reportagens
30 de junho de 2016

Polícia Federal desmonta quadrilha de desmatadores comandada de São Paulo

Operação revela sofisticação do grupo que pratica desmatamento e grilagem para pecuária e soja no sudoeste do Pará. Principal suspeito é pecuarista de SP

Notícias
2 de fevereiro de 2017

Rios Voadores: ex-servidor do Ibama é impedido de exercer cargo de chefia

Ex-gerente da autarquia em Sinop (MT) é acusado de fornecer informações privilegiadas ao grupo do maior desmatador da Amazônia e de fraudar processos administrativos

Notícias
15 de fevereiro de 2017

Justiça condena empresa por fraude em sistema de controle do Ibama

Operação Ouro Verde II, no Pará, descobriu uma das maiores fraudes ambientais no estado. Empresa terá de pagar indenização de mais de R$ 9 milhões mais multa

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 2

  1. Acho excelente. Espero que os responsáveis pela tragédia de Brumadinho também sofram as consequenciais.


  2. Maximiliano diz:

    Que boa noticia, esperemos que seja cumprida e não fique engavetada nas outras instâncias sob a mesa de juízes. Fiquemos de olho.