Salada Verde

Mesmo em época de chuva, Cerrado tem queimadas acima da média em janeiro

INPE registrou 763 focos de incêndio no bioma para o período, número 33% maior do que a média para o mês. Regiões que mais queimam são grandes produtoras de soja

Cristiane Prizibisczki ·
4 de fevereiro de 2022
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

O Cerrado, segundo maior bioma brasileiro e cujo período de chuvas se estende de outubro a abril, registrou 763 focos de incêndio em janeiro de 2022. O número é 33% maior do que a média para o mês (573 focos), segundo o Programa Queimadas, do Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE), e o segundo maior desde 2015.

Mesmo com intensa precipitação registrada na região centro-oeste do Brasil, o Cerrado já registra 51 focos nos quatro primeiros dias de fevereiro.

A plataforma do INPE com a situação atual dos incêndios indica grande concentração de focos no extremo oeste baiano, sudoeste do Piauí e sul do Maranhão. Nessas regiões é onde há grande produção de soja, que segue em alta no mercado. Ontem (3), a saca do grão atingiu recorde de preço, com saca chegando a R$200.

Segundo outro sistema de monitoramento do INPE, o DETER, que gera alertas de desmatamento, em janeiro de 2022, o Cerrado registrou 207 km² de perda de vegetação nativa, uma alta de quase 40% em relação ao mesmo período de 2021.

Outros biomas

A Amazônia registra, até esta sexta-feira, 1.292 focos de incêndio, segundo a plataforma do INPE. O número está abaixo da média para o período. Na Mata Atlântica são registrados 417 focos, no Pampa, 167 focos, Pantanal, 83 focos e Caatinga, 171 focos, até esta sexta-feira.

  • Cristiane Prizibisczki

    Cristiane Prizibisczki é Alumni do Wolfson College – Universidade de Cambridge (Reino Unido), onde participou do Press Fellow...

Leia também

Notícias
10 de janeiro de 2022

Se INPE faltar, sociedade civil está preparada para monitorar desmatamento no Cerrado

MapBiomas anunciou nesta segunda-feira (10) que possui sistema de alertas pronto para entrar em atividade. Diretor do INPE garante que não haverá apagão de dados no Instituto

Notícias
4 de janeiro de 2022

Governo esconde aumento de 8% na destruição do Cerrado

Entre agosto de 2020 e julho de 2021, INPE mediu 8.531 km² de desmatamento no bioma, maior cifra desde 2015. Números foram divulgados no apagar das luzes de 2021

Reportagens
23 de setembro de 2021

Ilegal, desmate autorizado pelo governo da Bahia é maior que a cidade do Recife

Área compõe latifúndio considerado um dos maiores casos de grilagem do país. Titulação do território tradicional das comunidades geraizeiras do Cerrado é fundamental para conter a devastação

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta