Salada Verde

“Vida de Pesquisador”: Instituto Mamirauá lança websérie

São doze episódios, e o destaque dessa semana é o pesquisador Emiliano Ramalho, que trocou as praias do Rio para ser um dos maiores especialistas em onças-pintadas do país

Sabrina Rodrigues ·
26 de julho de 2018 · 3 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
O pesquisador Emiliano Ramalho, especialista em onças-pintadas na Amazônia. Foto: Marcello Nicolato..

O Instituto Mamirauá lançou no seu canal do Youtube e na página da instituição no Facebook a websérie “Vida de Pesquisador”, que mostra as histórias e trabalhos de pessoas que vivem a ciência em prol da conservação. Na quarta-feira (25), o destaque foi o pesquisador Emiliano Ramalho, que há quatorze anos trocou as praias do Rio de Janeiro pelas florestas alagáveis da Amazônia. O cientista é um dos maiores especialistas em onças-pintadas no país.

Dividido entre dois caminhos distintos, a Biologia e a Informática, foi uma viagem feita na juventude em companhia da mãe, a antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Neide Esterci Ramalho, que fez sedimentar a certeza de que carreira seguir.

O destino era a Reserva Mamirauá, no estado do Amazonas, em uma região que anos depois o pesquisador já formado escolheu chamar de lar. “Você vê que as pessoas daqui da região com tão pouco conseguem viver e serem felizes e terem as portas superabertas para as pessoas de fora, com essa vontade de acolher, de ensinar, isso é muito marcante”.

O pesquisador do Instituto Mamirauá, Emiliano Ramalho, instalando um carregador de controle de energia do projeto Providence – Foto: João Cunha.

Mestre em Ecologia formado pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), Emiliano é doutor pelo departamento de Ecologia e Conservação da Vida Silvestre, na Universidade da Flórida. No decorrer da carreira acadêmica, o pesquisador investigou o uso de habitat, métodos eficientes de monitoramento das onças e estratégias para a conservação da espécie.

“A onça-pintada é fundamental para a conservação da floresta e a floresta é essencial para a sobrevivência da onça-pintada”, afirma o pesquisador. “A Amazônia é um ecossistema chave para a conservação da onça-pintada, porque nela vive a maior população de onças no planeta, onde existe a maior quantidade de áreas protegidas para a espécie e também abundância de alimentação”.

“Vida de Pesquisador”

A websérie “Vida de Pesquisador” contém 12 episódios, cada um com cerca de 7 minutos de duração e dedicado a um cientista do Instituto Mamirauá. São biólogos, oceanógrafos, arqueólogos, sociólogos e outros profissionais que trabalham e moram na Amazônia Central em projetos de conservação da biodiversidade e manejo de recursos naturais.

Assista

 

Cientistas do instituto investigam comportamentos únicos das onças na Amazônia, como viver em cima de árvores durante as cheias dos rios – Foto: Emiliano Ramalho.

 

Esse tipo de animal é um caso raro na natureza, correspondendo a uma baixa percentagem entre onças-pintadas – Foto: Emiliano Ramalho.
A biologia e ecologia de onças-pintadas na Amazônia é uma das linhas de pesquisa do Instituto Mamirauá – Foto: Amanda Lelis.
O pesquisador Emiliano Ramalho e um módulo de imagem do projeto Providence – Foto: João Cunha.

 

 

Leia Também

Onça em árvores contribui para turismo em Mamirauá

Imaflora lança série de vídeos sobre mudanças climáticas

USP divulga vídeos de expedição de pesquisadores no Pico da Neblina

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Salada Verde
18 de abril de 2018

USP divulga vídeos de expedição de pesquisadores no Pico da Neblina

Jornada científica realizada em novembro do ano passado resultou em reportagens que mostram cientistas na região amazônica e o trabalho de coleta de roedores, répteis, aves e plantas

Salada Verde
12 de julho de 2018

Imaflora lança série de vídeos sobre mudanças climáticas

Com uma linguagem de fácil compreensão, os vídeos chamam o usuário ao debate sobre assuntos como aquecimento global e emissão de gases de efeito estufa (GEE)

Notícias
6 de julho de 2017

Onça em árvores contribui para turismo em Mamirauá

Comportamento único do felino na região, que passa parte do ano sobre árvores, é aproveitado para o ecoturismo, gerando renda e ajudando a aumentar a tolerância ao animal

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 2

  1. Ebenezer diz:

    O Instituto Mamirauá precisa reabrir a loja no aeroporto de Manaus, e tb investir numa loja on-line. Tinha muitos produtos legais: camisetas, livros, etc…


  2. Suriman diz:

    Excelente! A Amazônia deve ser estudada minuciosamente para se obter o melhor que ela pode oferecer sem prejudica-la. Por favor, vejam também meu vídeo: