Análises

Vitimando as reservas particulares II

De Rubens N. Andrade Li a coluna da brilhante amiga Maria Tereza Jorge Pádua (não é brilhante porque é amiga, mas amiga porque é brilhante) destacando a burrocracia que atrapalha a criação das RPPNs e não pude deixar de ficar indignado. É incompreensível como um bando de incompetentes, provavelmente tentando justificar a posse de diplomas de curso superior, exigidos em quase todos os concursos públicos, legislam sobre o que não entendem. Gente sem a mínima preocupação com a preservação do planeta que, infelizmente, será nocauteado, é só uma questão de tempo, não tem a mínima preocupação com a realidade. Lembra muito aquela piada que roda na internet, onde um cidadão parou sua cherokee ao lado de um rebanho de ovelhas e propôs ao proprietário que as pastoreava: "se acertar o número de animais você me dá um?". O cidadão concordou. Ele pegou o Lap-top, ligou-o ao celular, acionou o google earth plus, conectou-o ao GPS, fez algumas planilhas, e mandou: 378! O pastor, surpreso, disse: é, está certo, pode pegar seu animal. Ele escolheu um, colocou no porta-malas do carro e quando ia sair o pastor propôs: se eu acertar sua profissão você devolve o animal? "Sim", concordou o cidadão. Ele disse "consultor"! O rapaz ficou também surpreso e disse: Como você descobriu? Porque você veio sem eu chamar, me prestou um serviço que eu não precisava, liberou uma informação que eu já sabia, cobrou um preço que você impôs e mostrou que não entende nada do que se propôs. Agora, por favor, devolva meu cachorro!

Felipe Lobo ·
15 de fevereiro de 2006 · 16 anos atrás
  • Felipe Lobo

    Sócio da Na Boca do Lobo, especialista em comunicação, sustentabilidade e mudanças climáticas, e criador da exposição O Dia Seguinte

Leia também

Notícias
14 de janeiro de 2022

Thiago de Mello, conhecido como o “poeta da floresta”, morre aos 95 anos

Poeta e jornalista amazonense cantou em prosa e verso sua luta pela preservação da maior floresta tropical do mundo

Reportagens
14 de janeiro de 2022

Venenos usados na soja seguem prejudicando a produção de frutas no Rio Grande do Sul

Agrotóxicos contra pragas resistentes ao glifosato contaminam e destroem plantios de uvas e outras economias no estado. Questão aguarda decisão judicial há mais de 1 ano

Análises
14 de janeiro de 2022

Monitoramento do comércio de combustível de aviação ajuda no combate ao crime ambiental

Desregulamentação e desestatização não pode significar abandono total do controle da distribuição e revenda, sob risco de aumentar o descaminho do combustível e sua utilização em atividades criminosas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Diego diz:

    Onde assisto ao filme? O link já era…