Notícias

Santa semana no Vão do Moleque

Região conservada em Goiás graças ao esforço dos quilombolas, Vão do Moleque deve ser encarado de 4x4, mas águas cristalinas compensam.

Redação ((o))eco ·
13 de maio de 2011 · 11 anos atrás
height=”500

Aldem Bourscheit, repórter que trabalhou muito tempo aqui em ((o))eco, tirou a Semana Santa para fazer um passeio até o Vão do Moleque, a 150 quilômetros de Cavalcante (Goiás). Nesta região vivem os Kalungas, quilombolas (descendentes de escravos fugidos) que mantiveram grande parte de seu território conservado. Com a ajuda de três 4×4, indispensável para o terreno, Aldem e sua esposa tiveram a companhia de dois casais de amigos na aventura. No caminho, são inúmeras formações de Cerrado, desde Campos de Altitude até matas bem densas.

Como bons esportistas, tão logo a necessidade do 4×4 acabou, eles pegaram a bicicleta e fizeram um trajeto de uma hora e meia até a Cachoeira dos Porcos (Veja Foto 11). “Como toda região de Cerrado preservado (cada vez mais raras), tem muitas cachoeiras, rios e córregos de água surpreendentemente cristalina, de onde se bebe diretamente. E, isto, poucos conhecem”, afirma.

Veja, abaixo, onze fotos da região.

{iarelatednews articleid=”20921, 24728″}

Links Externos:

Sobre Kalungas
Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

 

Leia também

Reportagens
30 de novembro de 2021

Há 8 anos na Câmara, projeto que cria uma lei para o mar ainda não tem votação à vista

Série de reportagens investiga motivos da longa tramitação do projeto de lei que institui a Política Nacional para Conservação e o Uso Sustentável do Bioma Marinho Brasileiro

Salada Verde
30 de novembro de 2021

Trilha Transmantiqueira ganha reconhecimento do Ministério do Meio Ambiente

A trilha de longo curso que cruza a Serra da Mantiqueira agora faz parte oficialmente do programa Rede Trilhas, para promover conectividade, conservação e turismo

Salada Verde
30 de novembro de 2021

Ibama abre concurso para contratar 568 servidores

Edital lançado nesta terça-feira (30) prevê a contratação de 136 analistas divididos por áreas temáticas e 432 técnicos ambientais

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta