Notícias

TV Globo é condenada por matéria em Unidade de Conservação

Emissora veiculou matéria sobre esporte radical na Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins, mesmo com autorização negada pelo ICMBio.

Redação ((o))eco ·
31 de julho de 2013 · 8 anos atrás
Cachoeira da Fumaça, na Estação Estadual da Serra Geral. Foto: Explora4x4/Flickr | Clique para ver imagem completa.
Cachoeira da Fumaça, na Estação Estadual da Serra Geral. Foto: Explora4x4/Flickr | Clique para ver imagem completa.

A Justiça Federal de Tocantins condenou a TV Globo e a empresa Quatro Elementos Turismo Ltda a reparar o dano causado pela reportagem exibida no programa Esporte Espetacular, que associava à imagem da Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins à prática de rafting esportivo, que é a técnica de descida em corredeiras em equipe utilizando botes infláveis e equipamentos de segurança. O esporte é incompatível com os objetivos das estações ecológicas, que são unidades de conservação integrais. A sentença saiu no dia 19/07.

A emissora havia entrado em contato com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que negou a autorização para a realização da matéria. Mesmo assim, a reportagem foi feita e veiculada no dia 25 de abril de 2010. Segundo informações do site da Justiça Federal de Tocantins, a equipe havia sido avisada sobre o impedimento legal de realizar gravações com foco na prática de esportes radicais naquela área, tendo em vista que a Instrução Normativa do IBAMA 05/2002 determina que as matérias jornalísticas realizadas em Estações Ecológicas e Reservas Biológicas não deverão fomentar atividades que não sejam de caráter científico e preservacionista.

A sentença proferida pela titular da 1ª vara, juíza federal Denise Dias Dutra Drumond, julgou procedente a ação civil pública proposta pelo Ministério Público Federal. Em sua fundamentação, a magistrada escreveu: “Em outras palavras, a Estação Ecológica tem em seu anonimato um de seus grandes trunfos, pois fica assim protegida da curiosidade leiga e da depredação que a atividade turística em massa e desordenada promove. Logo, a exposição em si mesma da Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins como área propícia à prática esportiva, diversa portanto de sua finalidade legal específica, já configura o dano ambiental”.

A sentença determinou que as rés devem indenizar a Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins em 500 mil reais por danos patrimoniais e, também, à produção de uma reportagem, previamente autorizada, com o tema “Turismo Sustentável na Região do Jalapão”, que deverá ser exibida em horário semelhante e com a mesma duração da anterior.

Na defesa, as empresas alegaram inexistência de dano ambiental e a Globo Comunicações alegou ofensa a liberdade de imprensa. Para a magistrada, a liberdade de imprensa não é direito absoluto e os danos que causa devem ser indenizados.

Leia a sentença na íntegra.

Leia também

Dicionário Ambiental
19 de abril de 2013

O que são Unidades de Conservação

Um guia ((o))eco para que você aprenda um pouco mais sobre unidades de conservação.

Reportagens
11 de julho de 2008

Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins (TO)

A unidade entrou novamennte em estado de alerta vermelho nesta semana Nas imagens dos satélites NOAA-15 de 05/07/08 foram detectados focos de calor no interior da UC . Um foco de incêndio foi confirmado no noroeste da ESEC. A equipe está traçando a estratégia para o combate. O chefe da Estação, Wadji Mishmish, conta com

Salada Verde
16 de maio de 2013

Bolsonaro entra na Justiça para pescar em reserva ecológica

Deputado do PP entrou com mandado de segurança para garantir o direito de praticar pesca amadora na Estação Ecológica de Tamoios, em Angra.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta