Salada Verde

Para campos de altitude

Conama regulamenta regras para licenciamento de atividades econômicas em campos de altitude. Idéia é proteger áreas em regeneração mais avançada.

Salada Verde ·
19 de março de 2010 · 12 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Panorama dos Campos de Cima da Serra (RS). foto: Aldem Bourscheit
Panorama dos Campos de Cima da Serra (RS). foto: Aldem Bourscheit

Esta semana o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) aprovou regras que, além de completarem a regulamentação da Lei da Mata Atlântica, permitirão o licenciamento de atividades econômicas em campos de altitude em várias regiões do país. As normas passaram por três anos de discussões, com membros de governos federal e estaduais e setores produtivos, e protegem com mais força campos em regeneração mais avançada. Desde 2006, quando a Lei da Mata Atlântica foi aprovada, nenhuma atividade poderia ser licenciada nesse tipo de vegetação. As regras entram em vigor quando a resolução do Conama for publicada no Diário Oficial da União, o que deve acontecer nos próximos dias.

Na votação desta semana no plenário do conselho nacional, em Brasília (DF), os únicos votos contrários ao regramento do uso dos campos de altitude vieram da Confederação Nacional da Agricultura (CNA) e do governo de Santa Catarina, que chegou a aprovar uma resolução estadual e embutir em seu Código Ambiental parâmetros técnicos de validade duvidosa que permitiam a degradação massiça de campos nativos. Entidades e parlamentares ruralistas tentaram evitar a fixação de regras difundindo boataria e falsas informações entre produtores rurais, como a de que ficariam proibidas plantações e criações em terras a
menos de 400 metros de altitude.

Sobre o risco de campos em início de regeneração serem destruídos, antes que as novas regras tornem seu uso mais restrito, João de Deus Medeiros, diretor do Departamento de Florestas do Ministério do Meio Ambiente, lembra que a legislação da Mata Atlântica se aplica principalmente em remanescentes naturais do bioma. “Para os campos, temos o mesmo risco que para restingas e florestas. As diretrizes são as mesmas. A resolução aprovada pelo Conama regulamenta o que está na lei”, disse.

A Região Sul concentra a maior parcela de campos de altitude no país, como nas regiões de São José dos Ausentes e Bom Jesus, no Rio Grande do Sul, de Lages, São Joaquim, Curitibanos, Caçador e Água Doce, em Santa Catarina, de Vila Velha e Serra do Mar, no Paraná. Também há campos em porções das serras da Bocaina e Itatiaia, em São Paulo e Rio de Janeiro, da serra do Espinhaço, em Minas Gerais, e da chapada Diamantina, na Bahia.

Confira aqui o texto aprovado pelo Conama.

Leia também

Notícias
26 de novembro de 2021

Informação obtida via LAI revela que MCTI recebeu dados do desmatamento em 1º de novembro

Ministro Marcos Pontes disse que dados não foram publicados antes da Conferência do Clima porque ele estava de férias. Agenda oficial registra férias entre 8 e 19 de novembro

Notícias
26 de novembro de 2021

Jornalismo digital brasileiro se une em campanha de financiamento

Ação reúne 26 organizações com objetivo de arrecadar doações para fortalecimento do jornalismo digital de qualidade

Reportagens
26 de novembro de 2021

MPF pede anulação da Licença de Instalação do Linhão Tucuruí na terra Waimiri Atroari

Ação aponta que União e a Transnorte agem ilegalmente no licenciamento da obra. Autossuficientes em energia elétrica, os Waimiri Atroari são contra o empreendimento e sentem “a floresta sangrar”

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta