Salada Verde

Desmatamento na Mata Atlântica continua crítico

Levantamento do Ibama mostra que bioma perdeu, entre 2002 e 2008, quase três mil quilômetros quadrados de floresta nativa.

Redação ((o))eco ·
3 de dezembro de 2010 · 11 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Na última quarta-feira (01), o Ministério do Meio Ambiente (MMA) divulgou um mapeamento liderado pelo Ibama com os números finais do corte raso de árvores na Mata Atlântica entre 2002 e 2008. Ao todo, um dos biomas mais biodiversos e ameaçados do planeta perdeu 2.742 quilômetros quadrados de floresta nativa, algo assustador para uma região que detém apenas cerca de 7% de sua cobertura original. O susto é ainda maior porque, em 2006, a Lei da Mata Atlântica foi assinada para impedir qualquer desmatamento, com raríssimas exceções.

De acordo com a análise, até 2002, 75,62% do bioma haviam sido desmatados. Esta taxa aumentou para 75,88% seis anos depois. Entre os estados que mais limparam as áreas verdes para outras atividades econômicas estão Minas Gerais, Paraná e Bahia. Respectivamente, eles literalmente cortaram 0,38%, 0,29% e 0,39% da floresta.

“Embora seja a menor taxa em relação aos outros biomas, a Mata Atlântica foi muito devastada historicamente. Portanto, há situações preocupantes. Minas Gerais, por exemplo, foi o estado que liderou o ranking. O levantamento em questão avalia o corte raso, mas não qual prática foi adotada naquele solo depois. Porém, segundo informações de campo do próprio Ibama e também da SOS Mata Atlântica e INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), os principais problemas são a agropecuária e a exploração de carvão vegetal”, avalia Bráulio Dias, Secretário de Biodiversidade e Florestas do MMA.

O estudo, vale lembrar, não envolve as florestas deciduais e semi-deciduais do Cerrado e da Caatinga, consideradas pertencentes ao bioma, diferente dos mapas elaborados pela SOS Mata Atlântica em parceria com o INPE. Dias, no entanto, afirma que o diagnóstico respeitou os perímetros adotados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Segundo ele, a expectativa é que o desmatamento nesta floresta chegue próximo de zero. Um dos trabalhos atuais é uma negociação do Ministério da Fazenda para regulamentar o Fundo de Restauração da Mata Atlântica, o que deve acontecer até o início de 2011.

Veja também
Desmatamento na Mata Atlântica cai, mas ainda é grave

Leia também

Colunas
26 de janeiro de 2022

O que você levaria se tivesse que abandonar sua casa em 1 minuto?

Migração forçada por causa de fatores climáticos serão cada vez mais frequentes e atingirão mais pessoas. É preciso focar em políticas públicas para mitigar seus impactos

Reportagens
26 de janeiro de 2022

Especialistas criticam medidas de curto prazo adotadas contra a estiagem no Rio Grande do Sul

Governo estadual e representantes do agronegócio pedem recursos para cobertura de prejuízos, abertura acelerada de poços artesianos e até barramentos em áreas de preservação permanente

Notícias
26 de janeiro de 2022

Cientistas desmontam “falsas controvérsias” de guru ambiental de Bolsonaro

Doze dos principais cientistas ambientais do país acusam Miranda de usar credenciais da Embrapa para disseminar desinformação

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta