Salada Verde

Blairo Maggi é o novo presidente da Comissão de Meio Ambiente

Ex-governador do Mato Grosso e ganhador do troféu Motosserra de Ouro em 2005, senador do PR assumiu nesta quarta-feira o comando na comissão.

Redação ((o))eco ·
27 de fevereiro de 2013 · 9 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Fernando Collor cumprimenta o atual presidente, Blairo Maggi e é observado pelo senador Eduardo Amorim (PSC-SE), que tomou posse hoje como vice-presidente. Foto: José Cruz/Agência Senado.
Fernando Collor cumprimenta o atual presidente, Blairo Maggi e é observado pelo senador Eduardo Amorim (PSC-SE), que tomou posse hoje como vice-presidente. Foto: José Cruz/Agência Senado.

Foi sem surpresas, para quem acompanha o Congresso, que o senador Blairo Maggi (PR-MT) assumiu nesta quarta-feira (27) a presidência da Comissão Permanente de Meio Ambiente, Fiscalização e Controle no Senado, ao lado do senador Eduardo Amorim (PSC-SE), que assumiu como vice. O nome do senador já estava cotado para o cargo desde antes da eleição que levou Renan Calheiros à presidência da casa.

A negociação pelos cargos de presidentes de comissões aconteceu em troca de votos para Renan Calheiros (PMDB-AL). Os cargos são ocupados proporcionalmente, de acordo com o tamanho da bancada e um acordo foi costurado. Antes, a Comissão era presidida pelo senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF).

Em discurso, ao tomar posse hoje, Maggi rebateu críticas de senadores ligados ao meio ambiente, afirmando que sua atuação como produtor rural e as medidas que adotou para preservação ambiental em seu estado, quando governador, o credenciaram para assumir a comissão.

“Muitos podem achar que esse não é um lugar para mim, mas posso dizer com toda tranquilidade, conheço bem, sei o que os ambientalistas querem, sei o que os setores produtivos querem e desejam e nós saberemos levar ao bom termo a discussão correta, tranquila e democrática. (…) Sei o desafio que tenho pela frente, mas também já trilhei, já fiz e sei como fazer as coisas acontecerem daqui pra frente”, discursou o novo presidente.

Conhecido como rei da soja e ganhador do troféu Motosserra de Ouro do Greenpeace, em 2005, Maggi foi governador de Mato Grosso e, durante seu mandato (2003-2010), foi considerado um inimigo dos ambientalistas, por quem foi apelidado de “estuprador de florestas”, mas conseguiu sair da posição destruidor de floresta ao adotar uma série de uma série de medidas para conter o desmatamento em Mato Grosso.

Uma dessas medidas foi a adoção da a moratória da soja, da carne e entre outras. As estratégias usadas para melhorar sua imagem, após inúmeros escândalos ambientais, foi tema de reportagem publicada aqui em ((o)) eco assinada pela repórter Andreia Fanzeres.

Além da Comissão de Meio Ambiente, foram definidos os presidentes de mais 5 comissões.
*Editada às 11h25, 28/02

Leia também

Notícias
21 de janeiro de 2022

Em discurso de pré-candidatura, Ciro Gomes defende economia de baixo carbono

Durante a Convenção Nacional do PDT, o pré-candidato diz que a pauta ambiental é um instrumento de proteção dos ecossistemas e uma oportunidade de investimento

Análises
21 de janeiro de 2022

O Agro quer seguro rural, mas precisa mesmo é do Código Florestal

Sem cumprir as leis ambientais e sofrendo com mudanças climáticas, lideranças do Agro se mobilizam para ampliar o seguro rural com dinheiro público. Rios e florestas seguem em agonia. Moro já aderiu

Reportagens
21 de janeiro de 2022

Brasil registra recorde de extremos de chuva no início do verão

Entre 1º e 31 de dezembro de 2021, a equipe técnica do Cemaden emitiu 516 alertas de risco de desastres, como deslizamentos, inundações e enxurradas, para os 1.058 municípios monitorados

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta