Salada Verde

Justiça anula decreto que recortou a reserva Guariba-Roosevelt

Assembleia Legislativa de Mato Grosso reduziu 107 mil hectares da reserva extrativista em dezembro. Parlamentares também tentaram reduzir parque por decreto

Daniele Bragança ·
28 de junho de 2017 · 4 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Comissão que apresentou o relatório final dos estudos realizados sobre a Resex. Foto: Angelo Varela/ALMT.
Comissão que apresentou o relatório final dos estudos realizados sobre a Resex. Foto: Angelo Varela/ALMT.

Recortada através de um decreto legislativo em dezembro, a Reserva Extrativista Guariba Roosevelt, localizada no Noroeste de Mato Grosso, terá de volta seus 107 mil hectares. Foi o que decidiu na segunda-feira (26), o juiz Rodrigo Roberto Curvo, da Vara Especializada de Meio Ambiente de Cuiabá.

O magistrado suspendeu os efeitos do Decreto Legislativo n° 51/2016, que reduziu a reserva de 164 mil hectares para 57 mil hectares. Em abril, os deputados estaduais tentaram anular, também via decreto, a criação do Parque Estadual Serra Ricardo Franco, de 158,6 mil hectares. A oposição dos ambientalistas foi forte, o caso ganhou repercussão fora do estado e os parlamentares recuaram.

Os políticos tentaram extinguir o Parque baseado na ofensiva vitoriosa que reduziu, por decreto parlamentar, a Reserva Extrativista. Segundo o Ministério Público Estadual, que entrou com a ação, diminuir ou extinguir Unidades de Conservação por decreto é inconstitucional. O magistrado acatou a denúncia.

Foto: Divulgação/MPE-MT.
Foto: Divulgação/MPE-MT.

“Neste momento processual, é possível verificar que o Decreto Legislativo 51/2016, ao sustar os efeitos do Decreto Estadual 59/2015, promoveu retrocesso legislativo da tutela ambiental já consolidada, pois implicou em significativa redução dos limites da Reserva Extrativista Guariba-Roosevelt, de 164.224,00 ha para 57.630 ha, em evidente princípio da vedação do retrocesso ecológico”, diz um trecho da decisão.

Na liminar, a Justiça também determinou a suspensão da tramitação e a titulação de todos os processos de regularização e legitimação de posse de áreas compreendidas na reserva. O Estado de Mato Grosso deverá demarcar a área em seis meses. O descumprimento da liminar implicará em pagamento de multa diária no valor de R$ 50 mil.

Única reserva extrativista do estado

Criada em 1996 durante o governo Dante de Oliveira, a Unidade de Conservação de Uso Sustentável foi ampliada em 2015 pelo governador Pedro Taques. A ampliação da área foi sustada pelo Legislativo estadual, um ano e meio depois. A redução foi de 65%. Na Reserva Extrativista Guariba Roosevelt vivem trezentos seringueiros.

 

Leia Também

Parque que pode ser extinto abriga fazendas de Padilha

Proposta que extingue parque no Mato Grosso foi suspensa

Proposta que extingue parque no Mato Grosso será apreciada por comissão

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Notícias
25 de abril de 2017

Proposta que extingue parque no Mato Grosso será apreciada por comissão

Assembleia criou colegiado que analisará a proposta. Três dos cinco deputados titulares da comissão são autores do decreto que acaba com a unidade

Notícias
3 de maio de 2017

Proposta que extingue parque no Mato Grosso foi suspensa

Autor do projeto, deputado Adriano Silva (PSD) solicitou a paralisação da tramitação decreto e cobrou estudo sobre a Unidade de Conservação

Notícias
20 de abril de 2017

Parque que pode ser extinto abriga fazendas de Padilha

Assembleia do Mato Grosso aprova em primeiro turno extinção de Parque Estadual Serra Ricardo Franco, onde o ministro tem 4 propriedades sob suspeita de grilagem

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. paulo diz:

    Parabéns aos defensores do patrimonio Nacional. Chega destes aniquiladores , inimigos da Pátria.