Notícias

Na Amazônia está a maior área protegida da Europa

Região de 3.4 milhões de hectares abriga espécies endêmicas e cerca de nove mil indígenas. Maior ameaça continua sendo a extração ilegal de ouro.

Giovanny Vera ·
7 de fevereiro de 2012 · 10 anos atrás
Mineração ilegal de ouro é registrada no coração do Parque Amazônico da Guiana. (Crédito: WWF Guianas)
Mineração ilegal de ouro é registrada no coração do Parque Amazônico da Guiana. (Crédito: WWF Guianas)

Na Guiana Francesa, território sul-americano que pertence ao estado francês, está o Parque Amazônico da Guiana, maior área protegida da União Europeia. 3.4 milhões de hectares abrigam enorme riqueza e biodiversidade, representadas em cerca de 480 espécies de peixes, 180 de mamíferos, 300 de répteis e anfíbios, 720 de aves, milhares de insetos e mais de 5.800 de plantas. O peixe Hemigrammus guyanensis, a rã Rhinella lescurei e a borboleta Strephonota bicolorata são algumas das espécies endêmicas registradas na região.

Parque Amazônico da Guiana. (Crédito: Divulgação)
Parque Amazônico da Guiana. (Crédito: Divulgação)
No Parque Amazônico da Guiana vivem nove mil habitantes, a maioria pertencente às etnias Wayana, Wayampi e Teko. Entre estes povos existe a crença de que o parque os protege de perder seu habitat e de uma possível colonização por “invasores”. Apesar deste senso de proteção expressam interesse em recuperar suas terras já que, pela lei francesa, o território pertence ao Estado. Segundo Félix Tiouka, líder indígena, “queremos que reconheçam nossos direitos”. Na região também residem os bushinengues, descendentes de escravos negros no Suriname.
 


O longo processo de delimitação
A criação do Parque Amazônico da Guiana é resultado de um processo de quase 15 anos, um caminho bastante longo e dificultoso. De acordo com Moïse Tsayem Demaze, da Universidade de Le Mans, autor do estudo “O Parque Amazônico da Guiana Francesa: um exemplo do difícil compromisso entre a proteção da natureza e o desenvolvimento”, de 1992 até 2007, quando foi oficialmente criado, o parque teve pelo menos quatro propostas de delimitação, com discussões acerca da exploração legal de ouro.

Localização do parque. Clique para ampliar. (Crédito: Google Earth)
Localização do parque. Clique para ampliar. (Crédito: Google Earth)
A principal ameaça do parque é a presença de garimpeiros clandestinos. Na Guiana Francesa existem entre seis mil e 15 mil garimpeiros ilegais.

Guiana Francesa sofre com a mineração ilegal de ouro

Como comenta Florent, da WWF, “essas atividades diminuíram dentro do parque, mas aumentaram nos arredores”. Atualmente, o Parque Amazônico da Guiana articula ações com organizações estatais no combate à exploração ilegal e monitoramento dos impactos gerados pela extração ilegal de ouro, nas áreas adjacentes ao parque.

Saiba mais:
Creation du Parc Amazonien de Guyane, por WWF (em françês)
Le Parc Amazonien de Guyane, por La Mission pour la création du Parc de la Guyane e Tic Tac Production (em françês)

  • Giovanny Vera

    Giovanny Vera é apaixonado pela área socioambiental. Especializado em geojornalismo e jornalismo de dados, relata sobre a Pan-Amazônia.

Leia também

Reportagens
6 de dezembro de 2021

Troca de gestão na APA de Massambaba tem motivação política, afirmam ambientalistas

Movimento pede a volta da especialista concursada que foi substituída por bombeiro. A APA protege uma área de importância ecológica no litoral fluminense e é pressionada por crimes ambientais

Salada Verde
3 de dezembro de 2021

Paraná pretende reativar trecho brasileiro de trilha histórica que liga o Atlântico ao Pacífico

Chamada de Caminhos do Peabiru, trilha tem 1.550 no trecho paranaense, que vai de Paranaguá a Guaíra. Caminho era usado por incas e guaranis, antes da colonização

Notícias
3 de dezembro de 2021

Amapá vende terras públicas invadidas a R$ 46 o hectare

Estado possui mais de 2,5 milhões de hectares de áreas ainda não destinadas. Cerca de 50% deste total é classificado como de importância biológica extremamente alta

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta