Notícias

Coral Vivo consegue espaço para construir um museu do mar

Terreno de 18 mil metros quadrados foi cedido pela prefeitura. Instituto começa a etapa de levantar fundos para a construção da atração

Redação ((o))eco ·
28 de julho de 2014 · 7 anos atrás
Terreno cedido pela prefeitura de Cabrália. Foto: Coral Vivo/Divulgação.

A cidade de Santa Cruz Cabrália, no sul da Bahia, vai ganhar um museu do mar. A prefeitura cedeu um terreno de 18 mil m² para o Instituto Coral Vivo construir e gerenciar o espaço, que contará com exposição de colônias centenárias de corais, aquários marinhos reproduzindo características dos recifes de coral locais, além de auditório, instalações de pesquisas e alojamento.

A cessão do terreno, que mede aproximadamente 2 Maracanãs e meio, foi feito através da Lei Municipal 534 e valerá por 25 anos. Agora, o Instituto aguarda o recebimento da escritura e o detalhamento do projeto para começar a fase de captação de recursos.

“O Museu do Mar buscará ser autossustentável via turismo e irá gerar emprego e renda, direta e indiretamente, para a sociedade local, em especial, pertencentes a comunidades tradicionais”, explica o biólogo marinho Clovis Castro, coordenador geral do Coral Vivo, que atua no Sul da Bahia desde 2004.

A ideia é o Museu abrigar atrativo turístico e educativo, que casarão com o trabalho desenvolvido pelo Instituto Coral Vivo de pesquisa e educação ambiental para conservação e uso sustentável dos recifes de coral.

 

 

Leia Também
Calor intenso branqueia corais da Baía da Ilha Grande
Corais podem virar área de preservação permanente
Importância dos recifes de corais é tema de palestra

 

 

 

Leia também

Notícias
14 de janeiro de 2022

Thiago de Mello, conhecido como o “poeta da floresta”, morre aos 95 anos

Poeta e jornalista amazonense cantou em prosa e verso sua luta pela preservação da maior floresta tropical do mundo

Reportagens
14 de janeiro de 2022

Venenos usados na soja seguem prejudicando a produção de frutas no Rio Grande do Sul

Agrotóxicos contra pragas resistentes ao glifosato contaminam e destroem plantios de uvas e outras economias no estado. Questão aguarda decisão judicial há mais de 1 ano

Análises
14 de janeiro de 2022

Monitoramento do comércio de combustível de aviação ajuda no combate ao crime ambiental

Desregulamentação e desestatização não pode significar abandono total do controle da distribuição e revenda, sob risco de aumentar o descaminho do combustível e sua utilização em atividades criminosas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Diego diz:

    Onde assisto ao filme? O link já era…