Notícias

Fundação Boticário seleciona projetos de conservação no Sul e Sudeste

Inscrições seguem até 31 de agosto. A Fundação financiará iniciativas realizadas no Pampa, Campos Sulinos e Floresta com Araucárias

Redação ((o))eco ·
28 de julho de 2014 · 8 anos atrás
Fundação financiará iniciativas realizadas no Pampa, Campos Sulinos e Floresta de Araucárias. Foto: Eduardo Amorim/Flickr.

Estão abertas as inscrições para o Edital de Apoio a Projetos de Conservação da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. Podem concorrer iniciativas de conservação que atuam nos biomas Pampa, Campos Sulinos e nas Florestas com Araucárias. O edital segue aberto até o dia 31 de agosto.

Esse é o segundo edital lançado pela Fundação Grupo Boticário este ano. Desde 1991, a Fundação realiza duas chamadas anuais. a partir desta edição, a segunda chamada de cada ano será regionalizada, enquanto as chamadas do primeiro semestre continuará selecionando iniciativas em todo o Brasil.

“O objetivo é concentrar esforços em áreas prioritárias para a conservação e que necessitam de ações urgentes, permitindo que as iniciativas selecionadas se complementem mais facilmente, em virtude da proximidade de atuação”, explica a diretora executiva da instituição, Malu Nunes. Instituições de todo o país podem inscrever projetos.

O processo de inscrição está disponível na seção ‘Editais’ do site da fundação. Mais informações, encaminhe um e-mail para o endereço abaixo. [email protected]

 

Leia Também
Fundação O Boticário abre edital para projetos de conservação
Fundação O Boticário faz concurso de fotografia
Muito além da perfumaria – com Miguel Krigsner

 

 

 

Leia também

Notícias
25 de janeiro de 2022

Bolsonaro corta 35 milhões do orçamento do Ministério do Meio Ambiente para 2022

Veto do presidente ao orçamento aprovado pelo Congresso reduziu principalmente a verba prevista para prevenção e combate de incêndios, que sofreram corte de 17 milhões

Notícias
25 de janeiro de 2022

Moro acena ao agronegócio e critica a política de meio ambiente de Bolsonaro

Em participação ao Flow Podcast, pré-candidato defende a valorização da agropecuária e acusa o atual governo de estimular o desmatamento ilegal

Reportagens
25 de janeiro de 2022

A história de uma floresta vazia que, aos poucos, volta à vida

Como o Parque Nacional da Tijuca virou um laboratório de reintrodução de espécies extintas localmente. E como isso tem ajudado a salvar a floresta

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Paulo diz:

    Hoje temos o Parque Nacional da Serra do Itajaí (PNSI), com os seus 57 000 hectares em Santa Catarina, sem a presença da Anta/Tapir(
    Tapirus terrestris), sem a jacutinga (Aburria jacutinga), com populações na berlinda da endogamia para os porcos queixadas, caititus e cervos do gênero Mazama. Também na escassez para os demais cracídeos, tinamiformes, roedores como as paca (agouti paca), tucanos, bugios, etc…….

    Área temos.