Reportagens

O Brasil diz que aceita metas obrigatórias para reduzir emissões

Em discurso em Durban, ministra do Meio Ambiente oferece compromisso do Brasil a assumir metas vinculantes a partir de um acordo que comece em 2020.

Flávia Moraes ·
8 de dezembro de 2011 · 11 anos atrás
Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, em seu discurso. Foto: twitter oficial do Brasil na COP17
Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, em seu discurso. Foto: twitter oficial do Brasil na COP17
Após de negociar pessoalmente a aprovação do novo Código Florestal no Senado, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, chegou a Durban para o período final das negociações da COP17. Em seu discurso no plenário, afirmou que é preciso assegurar compromissos das partes para que não haja uma lacuna entre a primeira e a segunda fase do Protocolo de Quioto, que deve iniciar após 2020.

Para garantir isso, o Brasil está negociando para que todos se comprometam e implementem suas promessas feitas em Copenhagen e Cancún. “Se todos trabalharmos juntos poderemos negociar o mais cedo possível um novo instrumento legalmente vinculante sobre a convenção, baseado nas recomendações da ciência que inclua todos os países para o período imediatamente pós 2020”, afirma (leia o discurso na íntegra).

Nesse sentido, o embaixador Luiz Alberto Machado, negociador-chefe do Brasil, reafirmou o seu otimismo de que não haverá um vácuo de ações contra as mudanças do clima até a próxima fase de Quioto, pois revela que as conversas estão evoluindo e que todos os países estão dispostos a se comprometer com suas metas dos acordos anteriores até a próxima década. Ele declara que o Brasil está negociando seriamente como será esse instrumento legalmente vinculante para a segunda fase e que para efetivá-lo seria interessante os países amadurecerem as perspectivas com seus congressos, a fim de não haver vetos posteriores.

As negociações seguem até amanhã, quando deverá haver a elaboração do texto final da COP17.

LEIA A COBERTURA COMPLETA COP 17

  • Flávia Moraes

    Jornalista, geógrafa e pesquisadora especializada em climatologia.

Leia também

Salada Verde
2 de dezembro de 2022

Lula afirma que deve criar “Secretaria dos Povos Originários” com status de um Ministério

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (02), o presidente eleito esclareceu que fará os anúncios dos nomes do primeiro escalão depois de ser diplomado, em 12/12

Reportagens
2 de dezembro de 2022

Encurralados pela degradação, morcegos ainda resistem em áreas de pasto no Pantanal

Estudo revela que mesmo em menor abundância, morcegos ainda buscam comida e abrigo em áreas de pasto. Resultado mostra importância da manutenção de sobras de floresta em áreas degradadas

Notícias
2 de dezembro de 2022

Sociedade e Inea pressionam e PL que flexibiliza proteção do rio Paraíba do Sul encolhe

Proposta que extingue o Refúgio de Vida Silvestre do Médio Paraíba para criar, em seu lugar, uma APA, mais flexível aos usos, foi rechaçada pela sociedade civil em sessão da Comissão de Meio Ambiente nesta quinta (1º)

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta