Salada Verde

Multada empresa que derramou óleo no Rio Negro

Órgão ambiental fixa em 300 mil reais punição pelo vazamento. Companhia não tinha licença para descarregar produto no porto privado.

Redação ((o))eco ·
1 de abril de 2013 · 9 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Contaminação causada pelo derramamento do produto na água. Foto: Vandré Fonseca.
Contaminação causada pelo derramamento do produto na água. Foto: Vandré Fonseca.

Responsável por derramar cerca de 15 mil litros de óleo no Rio Negro, a empresa Francis José Chehuan & Cia foi multada nesta segunda-feira (1) em 300 mil reais pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), órgão ambiental do Estado do Amazonas. O empreendimento tem 20 dias para recorrer da multa.

Além da punição econômica, o Ipaam já havia determinado na semana passada que a empresa teria 30 dias para apresentar um relatório, detalhando as circunstâncias do acidente. Embora tenha licença para transportar cargas perigosas desde 2000, a empresa Chehuan não a tinha para fazer o transbordo (carga e descarga) do produto naquele local.

O vazamento aconteceu na manhã da última terça-feira (26), quando a descarga de um tanque fez uma balsa tombar, provocando o derramamento do derivado de petróleo CAPCM20, artigo usado na produção de massa asfáltica. O acidente aconteceu em um porto privado, na zona oeste de Manaus. Segundo o órgão ambiental, a contaminação atingiu uma área de 900 metros quadrados.

De acordo com informações da assessoria de imprensa do governo do Amazonas, a expectativa é que a limpeza da área termine em 2 dias.

Leia também

Salada Verde
21 de outubro de 2021

Polícia Civil do Maranhão prende um dos homens que matou onça preta e se gabou nas redes sociais

Corpo do animal abatido foi filmado por três homens, que comemoraram o feito. O homem preso também será multado pelo Ibama.

Reportagens
21 de outubro de 2021

COP26 – Brasil tentou minimizar impacto das emissões da pecuária em relatório do IPCC

País também defendeu que aumento do desmatamento não é resultado da política atual brasileira. Outros países fizeram lobby para mudar relatório climático.

Reportagens
21 de outubro de 2021

Estudo aponta diretrizes para barrar a degradação acelerada de campos e savanas

As chamadas grasslands estão ameaçadas em todo o planeta, alerta um grupo internacional de pesquisadores. Solução envolve restauração e busca de alternativas de exploração econômica sustentáveis

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta