Salada Verde

Autódromo: consulta para derrubar a Floresta do Camboatá está marcada para o dia 7

Audiência pública virtual foi liberada pelo STF e terá apresentação do relatório de impacto ambiental. Etapa é exigência da legislação para o recebimento da licença prévia

Daniele Bragança ·
30 de julho de 2020 · 1 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Reprodução: Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro.

O governo do Rio oficializou a convocação para a audiência pública virtual que vai decidir o destino da Floresta do Camboatá, em Deodoro, Zona Norte do Rio de Janeiro, terreno onde pretendem construir um autódromo. A cobertura vegetal no lugar é um dos raros redutos de Mata Atlântica em terrenos planos na capital. A audiência virtual ocorrerá no dia 07 de agosto, às 19h, e é uma das etapas obrigatórias para a obtenção da licença prévia.

Quem quiser participar da audiência pública pode se inscrever através deste link.

A audiência estava marcada para março, mas com a pandemia, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro conseguiu liminar para adiar a audiência. A decisão judicial foi derrubada semana passada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli. (Daniele Bragança)

 

Leia Também

No meio do caminho de um autódromo, há uma  floresta

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Reportagens
30 de junho de 2019

No meio do caminho de um autódromo, há uma  floresta

Jardim Botânico do Rio de Janeiro defende  manutenção de rara vegetação de Mata Atlântica em local reservado a uma pista de corrida

Notícias
7 de dezembro de 2021

Movimento contra a especulação imobiliária abraça a Lagoa de Itaipu

Sociedade civil de Niterói protesta contra especulação imobiliária e pede para que o poder público não licencie nenhuma obra no entorno da lagoa

Notícias
7 de dezembro de 2021

Desmatamento está diretamente associado a baixo índice de progresso social na Amazônia

Municípios que mais desmataram no bioma Amazônico registram Índice de Progresso Social (IPS) 21% menor que o índice nacional, mostra estudo conduzido pelo Imazon

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta