Salada Verde

Deputada quer sustar decreto que retira sociedade civil do Fundo Nacional do Meio Ambiente

Jandira Feghali (PCdoB-RJ) entrou com projeto de contra decreto de Bolsonaro que mudou composição do colegiado. Fundo Nacional só conta com participação do governo

Daniele Bragança ·
3 de março de 2020 · 3 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Dep. Jandira Feghali (PCdoB – RJ). Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados.

Tramita na Comissão de Meio Ambiente da Câmara dos Deputados um projeto de decreto legislativo que impede a modificação da composição do Fundo Nacional de Meio Ambiente (FNMA) promovida pelo governo. No começo de fevereiro, o presidente editou um decreto retirando a sociedade civil do colegiado. O decreto foi assinado pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e pelo chefe do Executivo, Jair Bolsonaro.

A proposta de decreto legislativo que anula o decreto do governo será analisada pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; e de Constituição e Justiça e de Cidadania; e pelo Plenário.

O FNMA é o fundo mais antigo do país, responsável por gerir projetos e iniciativas socioambientais. De 1990 até 2018, o Fundo investiu 270 milhões em 1446 projetos socioambientais em todo o país. Cabe ao conselho deliberativo definir quais projetos serão contemplados com recursos do Fundo. Foi exatamente este conselho que foi reduzido. Passou de 17 para 6 representantes, todos do governo.

“O Decreto tem por finalidade esvaziar competências e enxugar a participação das comunidades indígenas, de Organizações Não Governamentais, da comunidade acadêmica e de movimentos sociais”, justifica Jandira Feghali (PCdoB-RJ), autora da proposta que susta o decreto.

Antes, o conselho deliberativo do FNMA, presidido pelo ministro do Meio Ambiente, era composto por 17 membros, sendo 3 representantes do Ministério do Meio Ambiente; 1 um representante do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão; 1 representante do Ibama; 1 do ICMBio; 1 representante da Agência Nacional de Águas; 1 representante da Associação Brasileira de Entidades do Meio Ambiente (Abema); 1 representante da Associação Nacional de Municípios e Meio Ambiente (Anamma); 1 representante do Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e Desenvolvimento (FBOMS); 1 representante da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC); 1 representante de organização da sociedade civil, de âmbito nacional, indicada pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) e 5 representantes de organizações não-governamentais ambientalistas, na proporção de um representante para cada região geográfica do País.

Após o decreto do governo, o conselho passou a contar com apenas seis membros, todos do governo: o ministro Ricardo Salles, que o presidirá, e 1 representante da Casa Civil, Ministério da Economia, do Ministério do Meio Ambiente, Ibama e ICMBio.

Para Feghali, a edição do decreto cerceia a participação da sociedade civil e dos cidadãos brasileiros em órgãos colegiados deliberativos importantes do governo federal e, por isso, deve ser anulada.

 

Leia Também 

Bolsonaro retira sociedade civil do Fundo Nacional do Meio Ambiente

Governo cumpre plano e esvazia Conama

Bolsonaro cria Fundo de multas ambientais com potencial bilionário para que Salles gerencie sob critérios próprios

 

  • Daniele Bragança

    Repórter e editora do site ((o))eco, especializada na cobertura de legislação e política ambiental.

Leia também

Reportagens
28 de outubro de 2019

Bolsonaro cria Fundo de multas ambientais com potencial bilionário para que Salles gerencie sob critérios próprios

Medida é mais um passo na reformulação do modo como multas ambientais são aplicadas e cobradas no país, uma demanda do setor ruralista e grandes infratores

Reportagens
29 de maio de 2019

Governo cumpre plano e esvazia Conama

Colegiado passa a ter 23 membros. Todos os setores representados no colegiado foram modificados. Só ministérios ligados ao desenvolvimento e economia mantiveram cadeira

Notícias
6 de fevereiro de 2020

Bolsonaro retira sociedade civil do Fundo Nacional do Meio Ambiente

Decreto publicado nesta quinta-feira (06) no DOU muda composição do conselho deliberativo e acaba com participação de ONGs e representações de classes 

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Jana diz:

    Texto sucinto porém esclarecedor, parabéns Salada Verde.