Notícias

Expedição pelos corais termina com o avistamento de três novas espécies

Após vinte dias navegando pela costa norte brasileira, pesquisadores avistam a presença de dois peixe-borboleta e um budião-sabão

Sabrina Rodrigues ·
16 de fevereiro de 2017 · 6 anos atrás
©Greenpeace
©Greenpeace

A expedição de divulgação do recife de coral da Foz do rio Amazonas chegou ao fim após 20 dias de navegação pelos 9,5 km² de extensão do ecossistema, que se estende da foz do rio Amazonas a Guiana Francesa. A descoberta do santuário foi publicada em abril de 2016, pela revista científica Science.

No começo de janeiro, uma equipe de pesquisadores exploraram o recife a pedido do Greenpeace. Nesta quinta-feira (16), as últimas fotos do local foram postadas e os cientistas comemoraram o avistamento de três possíveis novas espécies de peixes – dois de peixe-borboleta e um de budião-sabão – e também de um paredão de cerca de 70 metros de altura e 10 quilômetros, que não estava indicado nos mapas do fundo do mar da área.

Após percorrerem todo o percurso, os pesquisadores desconfiam que a área seja duas ou três vezes maior do que o publicado originalmente, quando o recife foi descoberto.

O petróleo é inimigo

O greenpeace já havia iniciado uma campanha contra a exploração de petróleo na região e o pedido agora se intensificou. Pelo menos três empresas já solicitaram ao governo licença para perfurar poços na bacia da foz do Amazonas.

“Essa expedição mostrou que sabemos muito pouco sobre nossos oceanos e a necessidade de protegê-los. Nós temos que evitar que o petróleo ameace esse único, novo e intocado bioma”, afirma Thiago Almeida, da campanha de Energia do Greenpeace.

©Greenpeace
©Greenpeace
©Greenpeace
©Greenpeace

Leia Também

Greenpeace divulga as primeiras imagens dos Corais da Amazônia

Cientistas revelam recife submerso na costa amazônica

Os corais mais ameaçados do planeta

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Salada Verde
17 de janeiro de 2011

Os corais mais ameaçados do planeta

Espécies ainda pouco conhecidas estão sumindo. Pesquisadores se reúnem em Londres e lançam iniciativa de conservação.

Notícias
25 de abril de 2016

Cientistas revelam recife submerso na costa amazônica

Uma equipe de brasileiros e americanos encontra na foz do rio Amazonas corais que se estendem por cerca de mil quilômetros, do Maranhão a Guiana Francesa

Notícias
30 de janeiro de 2017

Greenpeace divulga as primeiras imagens dos Corais da Amazônia

A descoberta do recife de 9.500 km² de extensão localizada na costa do Amapá surpreendeu os cientistas por tamanha riqueza. Mas, as companhias de petróleo planejam perfurar a área

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. George diz:

    Parabéns ao Greenpeace! Agora podiam parar de usar imagens de ariranhas e lontras em sua campanha pelos corais no Facebook.

    Não é legal apropriar-se da imagem de uma espécie que seu projeto não contempla. A não ser, claro, que tenham descoberto ariranhas marinhas!