Notícias

Galeria: servidores se mobilizam contra indicação do PROS no ICMBio

Nesta sexta-feira (25), houve manifestação na sede dos parques nacionais de Brasília, Tijuca, Itatiaia, Serra dos Órgãos, Bocaina, Iguaçu e até Fernando de Noronha

Daniele Bragança ·
25 de maio de 2018 · 3 anos atrás
O dia foi marcado por protestos em várias unidades de conservação do país como parte do movimento contra o loteamento político do ICMBio. Acima, servidores protestam no Corcovado. Foto: Divulgação.

Servidores do Instituto Chico Mendes para a Conservação da Biodiversidade (ICMBio) protestaram nesta sexta-feira (25) contra a indicação de um político ligado ao PROS para o comando da autarquia que cuida dos parques, reservas, estações ecológicas e outras áreas protegidas federais do país.

A mobilização se alastrou na quinta-feira (24) após reunião realizada entre o indicado, Cairo Tavares, e diretores da autarquia na sede do instituto. Esta é a segunda tentativa do partido de indicar um político para ocupar a presidência do órgão, desde a saída do oceanógrafo Ricardo Soavinski, no final de abril.

Natural de Valparaíso de Goiás, Cairo Tavares é bacharel em ciência política pela Centro Universitário do Distrito Federal (UDF), curso concluído em 2010. Tem 31 anos e é Secretário Nacional de Formação Política do PROS. Não há no seu currículo qualquer menção sobre algum trabalho ou experiência na área ambiental.

Nesta sexta-feira (25), houve manifestação na sede dos parques nacionais de Brasília, Tijuca, Itatiaia, Serra dos Órgãos, Bocaina, Iguaçu e até Fernando de Noronha.

No Ministério do Meio Ambiente, servidores foram recebidos pelo Secretário Executivo em exercício, Romeu Mendes, que informou que a indicação de Tavares foi uma “imposição de cima”. Segundo relatos de servidores que estavam na reunião, o Ministério queria indicar o engenheiro florestal Paulo Carneiro, atual diretor de Criação e Manejo de Unidades de Conservação do ICMBio, para assumir a vaga.

Veja a galeria

Associação de manifesta

A Associação Nacional dos Servidores Ambientais (ASCEMA) divulgou nota contra a indicação. Leia Abaixo:

Carta Aberta à Sociedade

Como você reagiria se para a presidência do Banco Central fosse nomeado um indicado político partidário sem NENHUMA experiência em economia? Ou se para técnico da seleção brasileira de futebol, fosse indicado um jovem político que nada entende sobre o assunto?

Pois foi assim, com total assombro, surpresa e revolta que fomos surpreendidos hoje com a indicação de um nome meramente político partidário, sem NENHUMA formação profissional ou qualquer experiência sobre meio ambiente para a presidência do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio.

Após a entrega partidária de algumas Coordenações Regionais e chefias de Unidades de Conservação do Instituto Chico Mendes, desta vez o Governo Federal pretende  nomear para a presidência do ICMBio um apadrinhado político, o senhor Cairo Tavares de Souza, pertencente ao PROS, para a presidência do ICMBio.

O  indicado a presidente do Instituto  é diretor da Fundação Ordem Social, ligada ao PROS e sócio de uma empresa de comércio varejista de bebidas em Valparaíso de Goiás. Inacreditavelmente não consta que tenha QUALQUER experiência em gestão socioambiental.

O ICMBio é responsável pela gestão de 333 Unidades de Conservação que correspondem  a 9% do território continental e 24% do território marinho, bem como a coordenação e implementação de estratégias para as espécies ameaçadas de extinção. Uma missão como esta não pode ser entregue a dirigentes sem experiência na área socioambiental, por mera conveniência partidária.

O Instituto Chico Mendes tem em seus quadros profissionais concursados, capacitados, qualificados, que vem atuando de forma comprometida, sempre dentro da legalidade, garantindo uma gestão transparente, ética, e voltada à execução da política ambiental pública e aos direitos garantidos na Constituição, de manutenção do equilíbrio ecológico do meio ambiente, bem de uso comum do povo, dentro de suas atribuições. Desde sua criação, sempre foi presidido por profissionais com experiência na área socioambiental, imbuídos da missão institucional do órgão que trouxeram grandes conquistas na sua capacidade de atuação , como poder executivo, na implementação da legislação ambiental vigente. Em um contexto de imensa fragilidade das políticas públicas, a possibilidade da nomeação do Sr. Cairo Tavares coloca em risco o bom desempenho da missão institucional do ICMBio.

Diante do exposto, os servidores do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade repudiam veementemente a possibilidade de nomeação do Sr. Cairo Tavares como Presidente deste Instituto,  ou de qualquer outra nomeação baseada em interesses políticos partidários contrários ao interesse público e à missão do ICMBio.

Chamamos a sociedade civil a se unir a esta luta, em prol da proteção do patrimônio natural e promoção do desenvolvimento socioambiental. Não passarão! #Nãoaoretrocessoambiental!

ASCEMA NACIONAL

 

Leia Também 

PROS assumirá ICMBio com nome sem ligação ao meio ambiente

Vice-presidente do PROS é cotado para ser presidente do ICMBio

Loteamento político na Reserva do Tinguá gera mal estar entre servidores

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Notícias
10 de maio de 2018

Loteamento político na Reserva do Tinguá gera mal estar entre servidores

Funcionários do ICMBio são contrários à indicação do gestor que não é da área ambiental e que já foi assessor parlamentar de político no Rio

Salada Verde
11 de maio de 2018

Vice-presidente do PROS é cotado para ser presidente do ICMBio

Se a indicação for confirmada, será a primeira vez que a autarquia será gerida por um político sem ligação com a área ambiental desde a sua criação, em 2007

Notícias
24 de maio de 2018

PROS assumirá ICMBio com nome sem ligação ao meio ambiente

Cairo Tavares esteve na sede da autarquia, nesta quinta-feira, e deve ter sua nomeação publicada na edição desta sexta do Diário Oficial da União

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 25

  1. Todo mundo aí defendendo seus esquemas: pra uns é chefias, outros é a lotação aprazível, outros é um trabalhinho gostoso sem stress, outros são maria-vai-com-as-outras mesmo


    1. José diz:

      E eis que desse mar de escrotice, emerge [email protected], destemido herói desinteressado…


      1. Absalão diz:

        Tô achando que esse José é a reencarnação do PR.PR.


          1. José diz:

            Não sei quem ou o q é PR.PR, mas tô achando q vc, Absalão, Jair, José Truda, [email protected] e outros que surgiram defendendo de forma enviezada a nomeação #vidaloca, através de difamação e ataques infundados e genéricos ao corpo técnico do ICMBio, que tenta defender o Instituto dessa maluquice estão todos, erraram, erraram feio, por motivos q não consigo entender ou simplesmente se PROStituíram mesmo.


          2. Everardo diz:

            "Se a opinião é diferente da minha, logo estão todos errados"


          3. José diz:

            Não sei se vc reparou, Everardo, mas acabaste de construir uma tautologia.


          4. Everardo diz:

            Não sei se vc reparou, só resumi o que vc disse.


          5. José diz:

            Obrigado, pela tentativa, mas vc não entendeu nada. Embora sua afirmativa tenha valor verdadeiro, como toda tautologia, ela não diz nada com nada, como toda tautologia, como essa. É claro que se eu divirjo de opinião, considero a opinião de que divirjo equivocada, foi isso que vc disse. Mas não precisava. O que importa são os termos de que discordo. E o que eu discordei no comentário a que vc respondeu é que eu não sou encarnação de PR.PR, como havia afirmado Absalão, cuja opinião considero errada, como vc bem disse. Aliás nem sei do que se trata essa pessoa ou coisa a que ele chama PR.PR. Em complementação afirmei que esse grupinho de que vc, Everardo, faz parte, junto com o próprio Absalão, Jair, Jair C., José Truda, é que se comportam de maneira igualmente vil, pois não tendo coragem de defenderem abertamente a nomeação do sujeito sem qualquer vínculo com a conservação para presidir o instituto federal que carrega essa finalidade, o fazem atacando os servidores que brigam contra essa barbaridade. Entendeu agora?


          6. Jair C. diz:

            José não entendeu nada! Ninguém defende esse PROS. Mas vc defende órgão com DAS vitalício: 5, 7…tem Diretor no Xibil 10 anos no mesmo cargo!! Vc já viu isso em algum outro órgão?? Absurdo! Tem que acabar um negócio desse!


          7. José diz:

            Entendi tudo direitinho Jair C. Vc e seus clones, defendem essa nomeação maluca. E pior, como não têm como defender diretamente, para isso, atacam os servidores que lutam contra essa barbaridade. Não defendo DAS 5, 7 nem nada. Na minha opinião o governo tem direito de escolher gestor com alinhamento político, isso é da democracia! O que não pode é nomear qualquer um, sem qualquer vínculo com o objetivo da instituição. Aí já é esculhambação. É isso que sou contra. E vc a favor.


          8. Jair C. diz:

            Qual parte de "DAS vitalício" e "10 anos no mesmo cargo" vc não entendeu? Tb não percebeste que "alinhamento político" é eufemismo pra "pulchassacow"!?


          9. Jair C. diz:

            E outra, o PROS não vem mais, vai ficar a mamata prum new-fidalgo da casa mesmo! Clap, clap, clap…palmas pros plebeus!


          10. José diz:

            O PROS nâo encontrou em seus quadros NENHUM nome ligado à conservação da biodiversidade?


          11. José diz:

            Pode ser, não entro nesse mérito dos 'DASs vitalícios", mas tb não vejo relação entre a nomeação se um neófito para a presidência com a saída dos diretores. E repito se o PROS escolher um nome que tenha vínculo com a conservaçâo da biodiversidade não haveria do q reclamar.


  2. Cleveland M Jones diz:

    pelo que vejo, sem esperança, de um jeito ou de outro…


  3. Absalão diz:

    Como se o fato de o chefe de plantão ser concursado evitasse influência política..não se chega à chefias sem padrinho. Imagina pra presidência do Instituto então? Ainda mais agora com a verba da compensação


    1. José diz:

      Claro q o presidente do iCMBio tem q ter alinhamento político. O problema aqui não é esse, mas sim do escolhido não ter qqr envolvimento com a conservação da biodiversidade!


  4. Brunno diz:

    A opção que o ICMBio "quer" também não é boa… um ambientalista hipócrita que foi um dos autores da MP 756/2016… agora o desmatamento na 163 aumentou absurdamente, por conta de ditos ambientalistas hipócritas que sequer foram capazes de vir assumir sua lotação na Amazônia. Não é possível que em um país grande como este não tenha uma pessoa competente pra assumir este cargo…


  5. José diz:

    Jair e Chico Mendes: PROStitutos!


    1. Jair diz:

      José, deixe de ser um Zé Mane! Falando por mim, eu mal sabia que esse partideco existia. O lance não é torcidinha política, é desejar uma gestão ambiental federal eficiente, não essa enganação pela patotinha chicomendiana. Uma ruptura é necessária, se não de maneira ideal, que seja via esse garotão #vidaloca do PROS. Meu temor é ele ja estar sendo "Diplanizado"!


      1. José diz:

      2. GESTOR AMBIENTAL diz:

        vcs não perceberam ainda a tática deste governo, nomeia partidos sem ligação com o meio ambiente, mas ligações com a bancada ruralista, tudo isto por votos no seu desgoverno, que doa as riqueZASA NATURAIS BRASILEIRAS E DESTROEM NOSSO MEIO AMBIENTE para garantir governabilidade


  6. Francisco Mendes diz:

    Sim, agora vcs estão começando a ficar mais claros…querem defender a nomeação de uma pessoa que está com DAS no ICMBio há anos…E as ovelhinhas amestradas tudo lá sendo usada como massa de manobra, defendendo o caráter vitalício dos fidalgos ambientais, que mamam DAS no xibill há anos….pessoalzinho, acordem: isso é o Brasil, e o xibill não é a ONG de vcs, livre das mãos desse governo tenebroso. Saúde foi lotada, educação foi lotada, e agora o xibill vai ser loteado. Simples assim.


  7. Jair diz:

    Estão defendendo seus chefes, basicamente