Salada Verde

Garimpos ilegais são desativados em unidades de conservação no Pará

Agentes do Ibama realizaram operação nos Parques Nacionais do Jamanxim e do Rio Novo. Na ação, fiscais destruíram oito escavadeiras, quatro motobombas e apreenderam de espingarda

Sabrina Rodrigues ·
8 de novembro de 2018 · 3 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Agentes do Ibama realizaram fiscalização em garimpo. Foto: Ibama.

O Grupo Especializado de Fiscalização (GEF) do Ibama realizou, nos dias 4 e 5 de novembro, uma operação de combate ao garimpo ilegal nos Parques Nacionais do Jamanxim e do Rio Novo, localizados no sudoeste do Pará. A ação resultou na desativação de minas de ouro e cassiterita, metal usado na produção industrial de produtos eletrônicos.

Com o apoio do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e de quatro aeronaves da Força Nacional, os agentes destruíram oito escavadeiras hidráulicas, quatro motobombas e apreenderam uma espingarda calibre 20, cartuchos, e ainda desmontaram acampamentos montados pelos garimpeiros.

Foto: Ibama.

Como não foi possível retirar o maquinário do local, o Ibama decidiu pela destruição de equipamentos, uma forma de tornar o crime ambiental prejudicial no bolso de quem comete. O garimpo de ouro é arriscado, mas lucrativo. Segundo o Ibama, um gerente chegou a afirmar que a extração ilegal apenas naquela área dá um lucro de pelo menos R$ 120 mil por mês com a venda de 1 kg.

O Ministério Público Federal analisará os relatórios de fiscalização a fim de apontar quais medidas criminais cabíveis e exigir a reparação dos danos ambientais.

*Com informações da Assessoria de Comunicação do Ibama.

 

Leia Também

Ibama estoura garimpo ilegal no Parque Nacional do Jamanxim

MPF entra com ação contra garimpo ilegal no Pará

Tropas federais auxiliam agentes de fiscalização no Pará

 

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Salada Verde
7 de novembro de 2018

Tropas federais auxiliam agentes de fiscalização no Pará

Força Nacional foi enviada para proteger equipe do ICMBio que sofreu atentado na região de Itaituba. No sábado (03), fiscais combateram exploração ilegal de madeira na Flona de Altamira

Salada Verde
5 de fevereiro de 2018

MPF entra com ação contra garimpo ilegal no Pará

Órgão pede à Justiça que obrigue o Ibama e o ICMBio a realizarem inspeções na terra indígena Munduruku, no Pará. Atividade ilegal está prejudicando a comunidade

Notícias
17 de junho de 2015

Ibama estoura garimpo ilegal no Parque Nacional do Jamanxim

O garimpo ilegal ocupava uma área de 17,5 hectares dentro da área protegida. Foram apreendidas retroescavadeiras, geradores e maquinário.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 3

  1. Paulo diz:

    Pegar este Bando e colocar uma pá , para cada um do Bando. E dizer-lhes, somente vamos sair daqui, quando fecharem todos os buracos, cavados pelos srs. Mãos a obra.


  2. Aroeira diz:

    "Como não foi possível retirar o maquinário do local, o Ibama decidiu pela destruição de equipamentos, uma forma de tornar o crime ambiental prejudicial no bolso de quem comete."

    Essa frase é irresponsável e está incorreta. O Ibama não se vinga, não é seu papel fazer isso, destruir propriedade alheia. A destruição do maquinário é na verdade a única alternativa de imobilizar os veículos, visto que são áreas remotas e operações de apreensão seriam extremamente complexas e caras, o que é inviável. É uma forma de prevenir a recorrência deste crime.


  3. Paulo diz:

    Bando, cacalhada. Aplicar o que manda na Constituição, certo Presidente Bolsonaro.